27/05/2008

Conferência de Ética e Deontologia


Na próxima Quinta Feira, dia 29 de Maio, das 18h30 até às 20 h00 vai realizar-se no Auditório da EST uma conferência em que os Oradores, o Drº Paulo Teixeira e o Dr Luis Ribeiro vão abordar questões subordinadas ao tema geral " Direitos e deveres do Solicitadores". Os Oradores são os autores do "Estatuto da Câmara dos Solicitadores" - Comentado e Anotado publicado recentemente e que tem servido de suporte/elemento de estudo para a Unidade Curricular de Ética e Deontologia.

6 comentários:

a3305 disse...

Foi de facto um seminário muito esclarecedor aquele a que tivemos a oportunidade de assistir.
Face a afirmações do tipo: "A Lei 49/2004 na prática vale Zero", ou seja, não se aplica; "O mercado está congestionado de solicitadores e advogados e mais alguns prontinhos a sair da Faculdade".

A questão que se coloca é... vale a pena o sacrificio para se ser solicitador?

Nos Açores e na Madeira haverá espaço para quem quer seguir a Solicitadoria? Se calhar acompanhamos os professores para uma zona onde ainda há vagas no exercicio da profissão...

a3315 disse...

Realmente, para quem está no primeiro ano do curso, o cenário apresentado não foi dos mais risonhos...
Mas como nada se perde e tudo se transforma, temos que ter esperança e encarar o futuro com optimismo (ou otimismo).

Sandra Moreira disse...

Gostei da forma como foram abordados os temas.
Parece-me que foi levantada uma pontinha do véu que nos fazia crer que tudo é perfeito, que tudo funciona bem, e nem sempre é assim...
Mas não vamos desanimar, temos é que nos empenhar para sermos bons profissionais, porque actualmente quase todas as áreas estão "lotadas" e apenas a qualidade fará a diferença (à excepção de uma boa "cunha"!!)

a3305 disse...

É indiscutível que a qualidade do serviço prestado é meio caminho andado para o sucesso. No entanto, mesmo a qualidade não se traduz na quantidade de serviço que pretendemos. A qualidade ganha-se com a experiência, ou seja, com a quantidade de assuntos para tratar. Não adianta ter qualidade se não tivermos quantidade, a não ser para uma realização pessoal que não é materializada.

No meu ponto de vista, há outras saídas que não dependem tão-só da qualidade mas sim da perspicácia e tenacidade em encontrar outras actividades para exercer uma profissão que precisa de um “empurrão enorme”, ou não fosse o nosso País feito de “padrinhos e afilhados”… :-)

Lurdes disse...

Acho que é importante termos esperança, e não sermos tão negativos (ò 3305). Sem dúvida que um bom padrinho è meio caminho andado.... mas para aqueles que não têm qualidade.
Mas não tenham dúvidas de que com qualidade e presistência e MUITO TRABALHO è claro também se lá chega (ao sucesso)...... sou da opinião de que "Quem luta perde e ganha, Quem não luta perde sempre".

E já agora uma curiosidade engraçada - um sinónimo de "cunha" = "empenhoca"

Lurdes

a3305 disse...

Eu não me intitulo "negativo" nesta questão. Apenas defendo que no exercicio da Solicitadoria a quantidade do trabalho (com profissionalismo) é mais importante que a qualidade, porque esta é relativa. Se fizermos um trabalho com qualidade mas não ganharmos a acção, somos vistos pelo cliente como "fracos" solicitadores...